COMUNIBLOG

Blog oficial da Comunilog Consulting                                                                                                                                                                                                                                                                            


Alterações á Segurança social 2013

No âmbito da entrada em vigor do novo Orçamento de Estado que entrou em vigor em Janeiro de 2013, informamos algumas alterações que surgiram a nível de segurança social:

 

 

Limites ao valor de isenção da segurança social no subsídio de alimentação

 

Passou de 5,12 € para 4,27 €– O que significa que todo o valor diário de subsídio de alimentação que ultrapasse os 4,27 €, sobre a diferença vai incidir segurança social e IRS.

 

● A partir de Janeiro, ao rendimento mensal ilíquido descontado da taxa da segurança social, e do IRS, e do salário mínimo nacional, a este valor aplica-se uma taxa extraordinária de 3,5%, que tem de ser entregue as Finanças.

 

Pagar as contribuições/quotizações para a Segurança Social dos sócios gerentes

 

“Os Membros dos Órgãos Estatutários que exerçam funções de gerência ou de administração devem entregar à Segurança Social uma contribuição de 34,75% sobre as remunerações efectivamente recebidas, ou seja, aquilo que realmente recebem, ficando 11% a cargo do membro dos órgãos estatutários e 23,75% a cargo da empresa.”

 

Informamos que ate 31/12/2012 descontavam 29,60 %, que eram divididos em 9,30% a parte do gerente e 20,30 % a empresa

 

 

Pagamento em duodécimos de metade do subsidio de ferias e de natal

                                

Já foi aprovada esta medida, mas ainda não foi publica, Após a publicação, os funcionários têm 5 dias para informar a entidade patronal, se não querem receber em duodécimos, se nada disser e aplicado o pagamento em duodécimos.


Texto reproduzido pelos nossos parceiros fabigestão


Anúncios


Valorize o que é nosso – Acção Mercado Municipal da Guarda

É importante valorizar o que é nosso, comprar no mercado municipal é valorizar a produção regional, e acima de tudo valorizar as pessoas que com muito trabalho, esforço e determinação vendem produtos da nossa região e lutam contra a difícil missão dos efeitos da globalização.

A Comunilog Consulting através do projecto eu Amo Portuga,l numa acção de campanha fotográfica, realizada no mercado municipal da Guarda, visa apelar á consciência cívica das pessoas para valorizarem e comprarem nos mercados municipais, valorizando os nossos produtos, e contribuindo para a sustentabilidade de pessoas que nos viram crescer e que nos conhecem e conhecem a nossa terra melhor que ninguém.

Valorize o que é nosso Ame também Portugal.

Os nossos agradecimentos aos fotógrafos: João Luis Salvador ,João Valado ,Mariline Ferreira ,Daniel Margarido ,António Rebelo ,Pedro Carvalho Rui Campos

 

MAIS FOTAGRAFIAS EM :

http://www.facebook.com/media/set/?set=a.445557135515659.62086135.118298718241504&type=1

 


Valorize o que é nosso! AMO-TE PORTUGAL…

 

Acção com 6 fotógrafos, um estagiário de operador de camara e uma estagiária de comunicação, no âmbito do projecto de Responsabilidade Social “EU AMO PORTUGAL”…


” LINHA DE CRÉDITO PME CRESCIMENTO 2013 COM CANDIDATURAS ABERTAS ” – AIP

 

Desde o dia 23 que uma nova       linha de crédito para as PME já se encontra       disponível.

A linha de Crédito PME       CRESCIMENTO 2013 é preferencialmente dirigida a Micro, Pequenas e Médias       empresas, certificadas com este estatuto pelo IAPMEI, devendo as empresas       observarem algumas condições como terem localização em território       nacional, desenvolverem uma CAE enquadrável, não terem incidentes       registados junto da banca e terem a sua situação regularizada junto da       Administração Fiscal e da Segurança Social.

A PME CRESCIMENTO 2013 é       composta por três linhas de crédito específicas:

 

  • Linha “Micro       e Pequenas Empresas”
  • Linha “Geral       – Dotação Geral”
  • Linha “Geral       – Dotação Especifica Empresas Exportadoras”

 

Na Linha       Específica “Micro e Pequenas Empresas”, os montantes máximos por empresas       são de 25.000 €, no caso das Micro Empresas, e de 50.000 € nas Pequenas       Empresas.

O máximo é       de 1.500.000 € para as empresas “PME Líder” que possam beneficiar da Linha       “Geral” e 1.000.000,00 para as restantes       empresas.

Os prazos de       amortização podem ir até 4 anos, com 6 meses de carência, no caso da Linha       Específica “Micro e Pequenas Empresas” e até 6 anos, com 12 meses de       carência para operações aprovadas na Linha       “Geral”.

No caso da       Linha Especifica “Micro e Pequenas Empresas” apenas será permitida a       apresentação de uma candidatura por empresa e não poderá exceder os       150.000 de financiamento com o acumular de operações anteriormente       aprovadas ao abrigo de linhas idênticas.

Na Linha       Especifica “Geral” as empresas poderão apresentar uma operação de locação       financeira e outra de financiamento bancário, através da mesma Instituição       de Crédito, e apresentar mais do que uma operação, com a mesma tipologia,       desde que o façam por Instituições de Crédito       diferentes.

As empresas       que à data da operação detenham dívidas perante a Administração Fiscal e a       Segurança Social poderão contratar junto do Banco proponente da operação,       um financiamento destinado exclusivamente à regularização destas       dívidas.

 

Todas as informações adicionais       poderão ser consultadas na ficha técnica, que se encontra disponível no       portal da AIP em www.aip.pt.


Informação AIP – Alargamento do prazo para reembolso de empréstimos

ALARGAMENTO DO PRAZO PARA REEMBOLSO DE EMPRÉSTIMOS

 

O alargamento do prazo em mais 12 meses para pagamento dos empréstimos aprovados ao abrigo das linhas de crédito PME Investe já foi aprovado, sendo uma das medidas que insistentemente a AIP vinha a defender.

Durante o período de alargamento de prazo das operações não haverá lugar a quaisquer reembolsos de capital e podendo também ser aplicada esta medida às empresas que já beneficiaram do período adicional anteriormente previsto.

As empresas deverão solicitar junto do seu Banco o alargamento do prazo com carência de reembolso de capital, que após aprovação será reencaminhado para a sociedade de garantia mútua respectiva para decisão e formalização.

Todas as informações adicionais poderão ser consultadas na ficha técnica, que se encontra disponível no portal da AIP emwww.aip.pt.


Novo Projecto Comunilog …

Comunilog Consulting lda. , enquanto entidade empresarial integrada na sociedade defende e partilha valores e códigos de conduta, contribuindo com vários programas e boas práticas para o desenvolvimento das comunidades, assumindo uma participação ativa e consciente da sua responsabilidade social. Fomenta princípios nos seus colaboradores para práticas de sustentabilidade ,ambiente social e económico solidariedade e respeito pelo meio ambiente. Autoriza e incentiva os seus colaboradores a participar em programas de voluntariado, ou atividades inseridas numa componente de intervenção na sociedade.

Este programa tem como objetivo desenvolver as comunidades onde a comunilog está inserida ajudar a criar uma sociedade mais consciente e inclusiva, e o desenvolvimento de uma comunidade mais solidária. Contribuindo assim de uma forma tangível, através do seu melhor ativo que são os seus recursos humanos, para uma sociedade mais justa e fraterna.

Responsabilidade Social Comunilog

Responsabilidade Social Comunilog