COMUNIBLOG

Blog oficial da Comunilog Consulting                                                                                                                                                                                                                                                                            

Auto Do Relvas e viva os professores de português !!!!!1

Adaptação do «Auto da Barca do Inferno», de Gil Vicente, feita por Gonçalo, Carolina e Filipe,

alunos de 42 anos (14 cada um) da Escola EB23 Dra. Maria Alice Gouveia, de Coimbra, numa aula de Português, que teve direito a uma publicação na biblioteca digital da escola e que merece ser  partilhada:

Vem Miguel Relvas conduzindo aos zigue zagues o seu Mercedes banhado a ouro e sai do carro com  o seu diploma na mão. Chegando ao batel infernal, diz:

RELVAS – Hou da barca!

DIABO – Ó poderoso Doutor Relvas, que forma é essa de conduzir?

RELVAS – Tirei a carta de scooter e deram-me equivalência. Esta barca onde vai hora?

DIABO – Pera um sítio onde não hai contribuintes para roubar!

RELVAS – Pois olha, não sei do que falais… Quantas aulas eu ouvi, nom me hão elas de prestar?

DIABO – Ha Ha Ha. Oh estudioso sandeu, achas-te digno de um diploma comprado nos chineses ao fim de três aulas?

RELVAS – Um senhor de tal marca não há de merecer este diploma?

DIABO – Senhores doutores como tu, tenho eu cá muitos.

Miguel Relvas, indignado com a conversa, dirige-se ao batel divinal.

RELVAS – Oh meu santo salvador, que barca tão bela, porque nom eu dir eu nela?

ANJO – Esta barca pertence ao Céu, nom a irás privatizar!

RELVAS – Tanto eu estudei, que nesta barca eu entrarei.

ANJO – Tu aqui não entrarás, contribuintes cortaste, dinheiro roubaste e um curso mal tiraste.

Relvas, sem alternativa, volta à barca do Diabo.

RELVAS – Pois vejo que não tenho alternativa. Nesta barca eu irei…Tanto roubei, tanto cortei, não  cuidei que para o inferno fosse.

DIABO – Bem vindo ao teu lar, muitos da tua laia já cá tenho e muitos mais virão. Entra, entra, ó  poderoso senhor doutor magistrado Relvas.

Pegarás num remo e remarás com a força e vontade com que roubaste aos que afincadamente

trabalharam.

Os comentários estão fechados.